Resenha: Dias Perfeitos

sábado, 22 de outubro de 2016

Autor: Raphael Montes

Editora: Companhia das Letras

Ano: 2014

Páginas: 280Avaliação: 5/5



Sinopse: Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.


Minha leitura: A narrativa de Raphael me pegou de uma tal forma que devorei o livro em poucos dias, eu simplesmente precisava saber como a história de Téo iria terminar. O livro é narrado e pensado na perspectiva de Téo, um jovem estudante de medicina e morador do Rio de Janeiro. Logo que Téo conhece Clarice fica obcecado pela garota que não demonstra interesse nenhum nele, mas, na cabeça dele ela era a "mulher da vida dele". É assim que começa a doentia perseguição pela garota. Clarice sempre deixa claro que não quer e nunca quis nada com ele, mas ele por diversas vezes fala "que o sentimento se tem com um tempo". Ela até tenta demonstrar a ele que está entrando no jogo só que não dá muito certo.
Você vai se deparar por varias vezes durante a leitura, perplexa pela loucura e a forma fria de Téo reagir em certas situações. Só sei que, pra mim é digno de ser favoritado, um dos melhores que li esse ano, e sempre quando vou indicar a alguém penso nesse livro, e da até uma vontade de reler.

Minha citação favorita: “Quando criança, passava noites sem dormir, as mãos trêmulas diante dos olhos, tentando desvendar os próprios sentimentos. Sentia-se um monstro. Não gostava de ninguém, não nutria nenhum afeto para sentir saudades: simplesmente vivia. Pessoas apareciam e ele era obrigado a conviver com elas. Pior: era obrigado a gostar delas, mostrar afeto. Não importava sua indiferença desde que a encenação parecesse legítima, o que tornava tudo mais fácil.” (pág. 12)

Curiosidades: Para quem não sabe o mesmo tem outros livros lançados super hypados.
Suicidas - (2012)
O sorriso do homem mau - (2013)
Dias perfeitos - (2014)
O vilarejo - (2015)
Jantar secreto - (2016) PS.: Está em pré-venda. Lançamento será dia 23/11/2016.

Uma boa leitura!
Obrigada por ler!!!

Meu Insta: @jsantos6719

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.