Resenha: Easy

sábado, 15 de outubro de 2016

Livro: Easy.

Autora: Tammara Webber.

Editora: Verus.

Páginas: 305.

Avaliação: ❤❤❤❤.


Sinopse:

Jacqueline segue o namorado de longa data para a faculdade que ele escolheu, a última coisa que ela espera é levar um fora no segundo ano. 

Depois de duas semanas em estado de choque, ela acorda para sua nova realidade: ela está solteira, frequentando uma universidade que nunca quis, ignorada por seu antigo círculo de amigos e, pela primeira vez na vida, quase repetindo em uma matéria.

Ao sair de uma festa sozinha, Jacqueline é atacada por um colega de seu ex. Salva por um cara lindo e misterioso que parece estar no lugar certo na hora certa, ela só quer esquecer aquela noite — mas Lucas, o cara que a ajudou, agora parece estar em todos os lugares.

 A atração entre eles é intensa. No entanto, os segredos que Lucas esconde ameaçam separá-los.

Mas eles vão ter de descobrir que somente juntos podem lutar contra a dor e a culpa, enfrentar a verdade — e encontrar o poder inesperado do amor.



Minha Opinião:

Eu estou entre amor e ódio por esse livro. Eu e minha amiga nos desafiamos a ler o livro que a outra gosta. 

O livro começa super impolgante, você fica na expectativa do início ao fim daquele primeiro trecho. Porém passa esse primeiro trecho e o livro da uma pequena desanimada, ai vêm outro trecho que da aquela animada no leitor, isso acaba acontecendo algumas vezes durante o livro.

Mas, a escrita da autora é muito boa e gostosinha de ler, ela prende e não solta mais, ela também não dá várias voltas para não chegar a lugar nenhum, ela tem um objetivo e segue um único caminho para alcança-lo.

Fico sem ar só de lembrar dos personagens, o London Lucas é um gato, gostoso *risos*. Ele tem aquele ar de garoto rebelde, com tatuagens, seu cabelo peefeito *risos*. A Jacqueline é meiga, fofa e linda. É muito bom ver ela amadurecer, enfrentar seus medos com a ajuda dos amigos. Talvez, o amor romântico do livro não chegue nem perto do amor da amizade, deles tentando um ajudar o outro sempre. 

Eu achei muito repetitivo como a autora tratou do tema: estrupo. Porém, ela demonstrou que todos estamos sujeitos a tal violência, e o único jeito de impedir que aconteça com outras pessoas é denunciando, assim as pessoas que cometem tal violência iram entender, que não são imunes à justiça.



Mil Beijinhos, até o próximo post...




Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.