segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017
ANIMAIS FANTÁSTICOS E ONDE HABITAM

6I2tPx6KIiBB4TWFiWwNUzrbxUn.jpg

O universo de Harry Potter está de volta aos cinemas trazendo uma nova história com novos personagens, nova aventura mas trazendo a mesma essência da franquia que fez tanto sucesso baseada nos livros da J.K Rowling que voltou para escrever o roteiro desse filme, ou seja, para os fãs da série, não tem como se desapontar.
A história dessa vez está acompanha as aventuras de Newt Scamander (Eddie Redmayne) que é um magizoologista que está estudando todos os animais do mundo mágico para poder escrever seu livro, e está em Nova York para continuar seus estudos. Lá ele acaba conhecendo Jacob (Dan Fogler) que é um não mágico (conhecido como trouxa) que fica sabendo do mundo mágico através de Newt e sua mala com suas criaturas mágicas que acaba deixando acidentalmente algumas das criaturas escaparem da mala soltas por Nova York. O filme se passa em 1926 onde o mundo mágico deveria ser mantido em extremo sigilo dos não mágicos por causa dos obscuros, que são criaturas ocultas em crianças que quando se rebelam fazem coisas das quais são temidas, investigadas e julgadas bruxaria pelos não mágicos, e Newt colocou o mundo mágico em perigo deixando as criaturas escaparem fazendo com que o segredo seja mais difícil de manter.
O filme funciona muito bem, ele tem um andamento coerente, porém cresce demais por ter sido um filme só. O que me chamou a atenção é que o filme conta duas histórias paralelas: a história do Newt e também a história dos obscuros, que é algo até então desconhecido no universo de Harry Potter que foi introduzido nesse filme e provavelmente vai ser explorado nos próximos filmes e que também já foram criadas muitas teorias sobre a criatura. Isso cria um questionamento: qual história é mais importante? Primeiramente pelos trailers e sinopse eu achava que o roteiro iria ser todo em torno do Newt e sua mala, mas chega uma hora onde ele foca totalmente no obscuros e muda de filme. Foi bem feito? Sim, mas poderia ter sido dividido em dois filmes de fato, e não ter feito apenas um com duas histórias diferentes que se ligam de uma maneira aleatória tendo somente uma pequena relação que é abordada, mas ao mesmo tempo ficam alguns questionamentos e uma conclusão de que aquilo só existiu para fazer uma relação com o Newt e o obscuros.
Os personagens do filme são muito bons, e muito bem explorados e desenvolvidos, e isso é um trabalho muito bem feito desde os primeiros filmes. Além do Newt e do Jacob, o grupo dos personagens principais contém ainda duas irmãs bruxas, a Porpentina, que pertencia ao ministério da magia e por questões políticas foi rebaixada do cargo, e sua irmã um tanto quanto peculiar, Queenie, que tem uma subtrama bem feita entre ela e o Jacob, não se sobrepõe sobre a história principal, mas também não fica tão obsoleta. O alívio cômico do filme que é o Jacob serve também para ser explicado para o público o que está acontecendo, se fosse apenas os três pertencentes ao mundo da magia, eles não teriam motivos para explicar tudo o que estavam fazendo e nem o que estava acontecendo. Foi uma maneira inteligente de fazer isso e que foi bem divertida de ver o personagem confuso e perdido em tudo que acontece, pois sua atuação é muito boa, inclusive a do elenco inteiro é muito boa e merece parabéns com toda certeza.
Porém um problema com o filme é o fato dele querer mudar de tom muito rápido. Quem acompanha a franquia sabe que os primeiros filmes são infantis e que são muito alegres, e a partir do terceiro filme, a franquia começa a ficar mais sombria e em uma franquia isso fica legal e funciona, mas fazer de uma vez em um filme só, fica meio estranho e parece que isso está forçando o filme a fazer uma franquia em um filme.
O visual do filme é muito bonito, seja em relação a cenário, efeitos visuais, figurino e o que for, o filme é lindo e é um ponto muito positivo que é muito bom na história. O filme se passa em 1926 e a ambientação faz com que a gente se sinta nessa época e isso é sensacional. Por mais que os efeitos visuais sejam muito bem feitos, ainda me passa a sensação de ser os mesmos dos outros filmes. Por exemplo aquela cena do sexto filme onde uma menina é possuída e acontecem algumas coisas sinistras com ela, então, parece que os efeitos não evoluíram nada desde o sexto filme e isso é preocupante.
O filme é muito bom, e nos trouxe de volta o universo que tanto gostamos, não é um filme de Harry Potter, é um filme do universo mágico contando uma nova história, com novos personagens, em um tempo diferente, deixando de lado o que aconteceu em Harry Potter, trazendo algumas referências pequenas como uma maneira de trazer uma nostalgia dos fãs átona, e trazer uma nova geração para o universo mágico.

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.