Mulheres Que Não Sabem Chorar [Lilian Farias]

sexta-feira, 28 de abril de 2017 1 Comentário

Livro: Mulheres que não sabem chorar.

Autora: Lilian Farias.

Editora: Giz Editorial.

Páginas: 208.

Onde Comprar: Livraria Cultura.

Avaliação: ❤❤❤❤❤.


"Entre preconceitos e abusos, luta pelo direito de ser mulher nessa senzala machista que querem nos impor."

Sinopse:

A vida de Marisa é regida pelo controle. Seja à frente do seu trabalho ou da vida dos filhos, ela é racional, mantendo-se sempre fria, um ser à parte das banalidades, cuja única preocupação é ser um exemplo. Olga é sua antítese. Sentimentos à flor da pele, dor flagelando a carne, pensamentos embaçados pelo esquecimento proporcionado pelo álcool. Sozinha, preocupa-se em apenas ser, em um mundo cercado por fatos que não reconhece mais como seus. Enquanto isso, Ana e Verônica esbarram com o acaso. Duas senhoras solitárias, vizinhas e antagônicas. Será que um dia alguém acharia que poderiam viver em paz? Mais ainda, será que poderiam se apaixonar? Duas jovens livres e independentes. O que as impede de ficar juntas? "Mulheres que não sabem chorar" é mais que uma história de amor entre iguais. Junto a estas personagens tão humanas, o leitor vê-se despido dos preconceitos, pudores e medos. Ora crua, ora poética, a trama nos obriga a enfrentar o espelho e se ver como nunca imaginou antes. Pois ao mergulhar neste romance, o que fará você pensar não é a forma como vê o amor, mas sim a forma com que ele se volta em sua direção. 

"- A verdade é que todos nós criamos expectativas, de um jeito ou de outro, criamos e isso é nossa realidade paralela."

       Esse não é um livro fácil ou que você vai se sentir extremamente feliz lendo, porém você vai se sentir mais consciente menos ignorante e quem sabe até aprendera a respeitar as diferenças dos outros. Talvez estar visualizando a situação ensine as pessoas que no fundo é tudo amor e que se não é pra acrescentar nada de bom, que não acrescente nada.

     "Prazer por se sentir viva, por sentir cada poro da própria existência."

       O livro conta a história de dois casais diferentes a Marisa e Olga que já tem seus 50 anos, ambas com histórias de vida bem marcantes, cada uma com seu vício e conta também a história de Verónica e Ana, duas jovens que acaba se conhecendo em um momento ruim e que se gostam porém não podem ficar juntas.
     As duas história se interligam em um momento do fim do livro e dão grandes tapas na nossa cara que estávamos achando que eram histórias dispersas, eu gostei das duas histórias porém quando chegava a história da Ana eu ficava meio perdida até que eu me entendi e descubri como ambas são importantes e lindas.
      A Marisa e a Olga são inimigas declaradas, uma odeia a outra estão sempre brigando. Até que um dia Marisa ouve um barulho super estranho como gritos e vai ver o que é, Olga está sendo estrupada após se render a bebida. Marisa a ajuda e a leva pra casa, cuida dela e ai elas vão criando uma relação.
     Acho que a sinopse é bem completa não tem muito o que eu contar.

Não concordo com a ideia de que nascemos prontos. Nascemos dispostos a aprender todos os dias. Depois reaprender para saber que não sabemos nada."

      Eu amei esse livro, eu chorei junto com essas mulheres, tem fatos reais, que nos fazem refletir sobre tudo, sobre o porque de não sermos tratados todos como iguais, sobre se amor tem gênero, essas coisas que eu tenho certeza que várias pessoas não pesam nisso, também é importante o fato de sentirmos o que as pessoas pensam quando descobrem esse sentimento, não é uma escolha, elas nascem assim, apenas vão descobrindo que agrada os outros não as agrada.
      Eu nunca tinha lido uma cena erótica entre dois iguais e a autora fez ser tão lindo, tão maravilhoso, as cenas de desejo e amor em como elas vão se descobrindo, incrível.
      Acho que é muito legal como as personagens vão se envolvendo e apesar de negarem seu amor suas atitudes mostram exatamente o contrário, que ambas se amam.
       Eu confesso que senti asco em algumas partes, as partes que mostram a maldade do mundo, de como as pessoas não podiam seguir seu coração, acho que as pessoas foram por muito tempo cabeças fechadas e hoje em dia ainda são e por isso livros assim são importantes, são importantes para nos fazer mudar, livros podem sim mudar sua mentalidade. E tudo é tão normal, a forma que a autora aborda o tema, sinceramente incrível.



Projeto: 12 Cartas em 12 Meses (ABRIL)

quarta-feira, 26 de abril de 2017 1 Comentário
Oii meus amores!!! Que saudade que eu estava desta introdução, como vocês estão?? Bem eu espero.

Hoje é mais um dia que eu venho lhes entregar uma carta, espero que vocês estejam preparados, eu foquei está carta em sonhos, vamos ver o que vocês acham. O tema de hoje " Uma carta para um desconhecido". Comentem o que vocês estão achando do projeto, deixa o link nos comentários caso esteja participando, vou amar ler as cartas de vocês.


    Então, você não me conhece, nem eu conheço você, mas talvez você precise ler algumas coisas hoje e se esse for o caso, eu irei lhe falar essas coisas.
      Eu sou péssima em relacionamentos, talvez seja um primeiro péssimo assunto para se iniciar essa carta, mas pense comigo, se você está em um relacionamento ruim, qual a probabilidade de você não se estressar com outras coisas da vida. Se você por acaso está vivendo um relacionamento ioiô (que vai e volta) ou um relacionamento abusivo ou até mesmo um relacionamento de aparência, ou por carência. Eu tenho uma coisa para lhe falar, então por favor, preste atenção, SAIA DESSE RELACIONAMENTO. Você é lindo (a), merece muito mais do que isso, você merece amor, merece alguém que queira realmente queira estar do seu lado, que fara de tudo para não perder o que vocês tem.
  Caso você precise de uma sentido para sua vida, só uma dica, toque em seus sonhos, se as pessoas dizem que ele é impossível, você tem que mostrar a elas e a você mesmo que nada é impossível, basta você levantar a bunda da cadeira e mostrar que você pode, que você é mais do que isso, é mais do que as estimativas, que você é capaz de tudo que quiser. Todos somos capazes basta acreditarmos em nos mesmos.
    Eu sei que pode parecer clichê cada palavra que eu escrevi até aqui, sei também que falar é fácil, mas por mais difícil que seja no final sempre tem algum resultado, seja de aprendizado ou de conquista.
      Eu sei que você nem me conhece mas caso precisasse ouvir isso hoje, EU ACREDITO EM VOCÊ, VOCÊ PODE TUDO. Quer ir para marte na primeira missão tripulada, ótimo vá em frente, quer ir para o Japão e ser mangaka, vá se matricule em um curso de japonês e corra atrás do resto.
     Essa carta, de uma completa estranha é só par incentivar os sonhos, incentivar que você pode, independente do que os outros iram te falar.
Mil beijooos May a completa estranha.




Resenha: Quando nasce uma mãe

segunda-feira, 24 de abril de 2017 3 comentários
Autora: M. Adams
Editora: Amazon
Ano: 2016
Páginas: 26
Avaliação: ★★★
Sinopse: Um conto dedicado especialmente ao dia das mães, repleto de romance e muito, muito amor! 

*Trecho para degustação.*

"...Aqui nesse consultório simples, eu entendo que a vida às vezes pode ser dura com você, mas que em algum momento ela vai te recompensar por tudo que lhe tirou. Sozinha nessa sala branca, olhando para um senhor de meia-idade que nunca me viu, mas que me deu a melhor notícia que alguém poderia me dar, eu agradeço a Deus por tudo que passei..."

Link: http://www.amazon.com.br/dp/B01F9W0LZC



Minha leitura: "Entendo agora tudo que ela me disse em seus diários. Entendo tudo que eu li sobre a sua espera por mim e tudo que meu pai me disse durante toda a minha vida. No momento em que o som das batidas do coração do meu bebezinho soou forte nos autofalantes do aparelho, eu entendi tudo."

Nessa história vamos acompanhar o nascimento de uma mãe, todos os seus sentimentos difíceis de entender que se tornam claros com o nascimento de seu filho.
Mesmo com todas as feridas, ela tem forças e amor o suficiente para ser uma mãe solteira completamente dedicada ao seu filho...

Sabe que essa mudança foi difícil, que os 12 meses que passou ao lado do marido teve mais momentos de desgosto que felicidade, só assim ela tem consciência que fez muito bem a ela a distância dele!

Eis que o final​ dessa linda história do nascimento de uma mãe, depois de entender​ o quão grande é isso que ela jamais imaginou o tamanho, é incrível e emocionante!


Uma boa leitura pra vocês!
Obrigada por ler.
Meu insta: @jubisreads
Juliana Santos ❤

RESENHA: Piriguete Apaixonada (Kamila Cavalcante)

sexta-feira, 21 de abril de 2017 19 comentários

Livro:  Piriguete Apaixonada.

Autora: Kamila Cavalcante.

Editora:  Independente.

Páginas:  366.

Onde Comprar: Amazon.

Avaliação:❤❤❤❤❤.

"Não há muitas coisas que valorizo na vida, mas a família deve ser valorizada em todos os sentidos."

Sinopse:

Maria Fernanda é uma periguete assumida que vive se metendo em confusões. Short curto e batom vermelho são sua marca registrada. Por onde passa seu corpo, seu bom humor e loucura chamam atenção. Sempre animada e sem se importar com o que os outros pensam, Mafê é dona do próprio nariz. Contrariando o que todos acham, ela é uma eterna romântica que está à procura do verdadeiro amor sem deixar de se divertir, obviamente.
Carlos Eduardo é um dos maiores chefões do tráfico na capital Rio Azul. Comanda a favela Bela Flor onde vive em quase harmonia. Apesar de ser um homem violento, ter problemas com os polícias e com a justiça, Cadu, como é conhecido, é um homem venerado pela maior parte da comunidade e respeitado por muitos na cidade. Cadu é centrado e sempre coloca o trabalho acima de quase tudo. Ele não confia em mulher alguma e segundo ele, elas só servem de passatempo. Pegou, desapegou. Esse é o seu lema com elas.
Mafê vai enxergar em Cadu o homem perfeito para se apaixonar e vai encarar o desafio de fazer com que ele se apaixone por ela. 
Embarque nessa aventura com o pessoal da Bela Flor e descubra se e como Mafê vai conseguir essa proeza, mas para isso: Liberte seu lado romântico. Liberte sua periguete interior.

"Não, isso não é ciúmes, apenas cuido do que me pertence."

  Pensem em uma história meio novela das 19:00, uma comédia delicinha que vai te deixar louco assim como esses personagens. Ameeeeii.
     O livro conta a história da Maria Fernanda (Mafê), que é uma jornalista, ela está fazendo uma matéria meio secreta, e para isso ela sobe o morro da Bela Flor, onde começa a trabalhar em um bar.
      Em uma noite ela acaba tendo uma ideia meio louca para salvar a noite e vira o centro das atenções do bar, e acaba chamando a antenção do Marcos (Nordeste), que é braço do Cadu o traficante que comanda o morro.
      A Mafê se envolve com o Nordeste e acaba transando com ele, ela é assim, transa com vários, não por dinheiro, mas por prazer, prazer dela.
      E quando ela está indo embora da casa desse cara ela da de frente com o Carlos Eduardo (Muralha/ Cadu), ela fica boba, louca para ficar com ele, afinal ele é gostoso pra caramba.
      Acontece umas coisinhas e o Muralha salva a vida da nossa Piriguete, e a partir daí é uma loucura atrás da outra, vai ter um draminha, mas tem muita comédia e o principal amor.

"Do mesmo jeito que mamãe foi uma, como ela diz, Periguete Apaixonada pelo meu pai, serei o Bobo Apaixonado por essa baixinha."

Eu adorei o livro, fazia muito tempo que eu não lia um livro de comédia, e o livro da Kami não trás só a comédia, trás problemas reais da sociedade, com um humor enorme e maravilhoso.
     Para variar eu me apaixonei por uns personagens (Muralha, Dani, Danny), todos personagens que junto com a protagonista são maravilhosos, acho que a autora explorou muito bem todos os seus personagens, nenhum deles era apenas um personagem secundário, achei isso muito legal.
      A autora escreve de uma forma super fluida, por envolver o personagem com o leitor, tem momentos que eu realmente me vi respondendo as perguntas, com certeza eu ameii essa interação.
       Outro ponto super positivo, foi o fato da autora ter ambientado seus personagens, muitos autores descrevem como "pouco estudo/ mora em uma favela", mas os personagens usam uma linguagem tão correta que não passa essa impressão, a autora usou gírias, descreveu como era, pareceu tudo tão real, isso me impressionou muito.
     O livro trás também a visão de um traficante, o que o levou a fazer isso, lógico que é romantizado, só que você ter uma leve visão sobre isso, lhe faz compreender as coisas, pesar antes de julgar. Não que isso seja uma justificativa para isso.
      Super recomendo para esse feriado, para dar várias gargalhadas com esses personagens maluquinhos que eu acho impossível vocês não amarem.
       


Para Educar Crianças Feministas - um manifesto

segunda-feira, 17 de abril de 2017 4 comentários
Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora: Companhia das letras
Ano: 2017
Páginas: 96
Avaliação: ★★★★★❤


















Sinopse: Escrito no formato de uma carta da autora a uma amiga que acaba de se tornar mãe de uma menina, Para educar crianças feministas traz conselhos simples e precisos de como oferecer uma formação igualitária a todas as crianças, o que se inicia pela justa distribuição de tarefas entre pais e mães. E é por isso que este breve manifesto pode ser lido igualmente por homens e mulheres, pais de meninas e meninos. Partindo de sua experiência pessoal para mostrar o longo caminho que ainda temos a percorrer, Adichie oferece uma leitura essencial para quem deseja preparar seus filhos para o mundo contemporâneo e contribuir para uma sociedade mais justa.

Minha leitura: Você já parou pra pensar que desde muito pequenos nos ensinam que o homem é o que deve ser respeitado e diferenciado em todos os quesitos?
Eu já pensei nisso, mas antes de ler o livro nunca imaginei o quanto isso é grave, pois nossos avós nos ensinam e edificar nossa casa, cuidar de nossos filhos, nos deitar com o marido e aguentar calada ofensas ou xingamentos porque naquele dia falhamos em alguma coisa (não é literal, mas basicamente isso).
Tenho certeza que se você é mulher já ouviu as perguntas/expressões:
-Uai, você é tão bonita, não sei porque não namora?
-Nossa, mas você só "fica", nunca pensou em se ajeitar com um homem bom?
-Se dê o respeito, é tão feio se deitar com estranhos!
-Aaah, não se importe com isso, ele é homem, e homem é assim mesmo!
-Sua vida será melhor quando você casar!


"Todo mundo vai dar palpites, dizendo o que você deve fazer, mas o que importa é o que você quer, e não o que os outros querem que você queira."


        Para educar crianças feministas - um manifesto

Eu não tenho posicionamento o suficiente para falar sobre feminismo, mas venho aqui falar como esse livro me ensinou, e me fez enxergar coisas que somos ensinadas desde muito jovem. 

O livro é escrito como uma carta para uma amiga de Chimamanda que teve uma linda menina, e daí vem o título do livro, no decorrer dele ela vai colocar sua opinião e entendimento em "Sugestões" numeradas e explicadas. E para quem não tem muito entendimento sobre, é um ótimo livro para ser lido, relido, e entender o que é de fato. 


"Ser feminista é como estar grávida. Ou se é ou não se é. Ou você acredita na plena igualdade entre homens e mulheres, ou não. O Feminismo Leve usa analogias como “ele é a cabeça e você é o pescoço”. Ou “ele está na direção, mas você é o copiloto”• 


        Chimamanda fala de forma clara como as meninas tem ensinamentos diferenciados dos meninos desde jovens, onde as meninas ajudam nos afazeres domésticos, as meninas aprendem a cuidar de suas bonecas, as meninas aprendem que um casamento com um homem bom é o nível máximo, que chegando lá não precisa de mais nada, aprendem que cuidar da casa, dos filhos é coisa de mulherzinha! Taí uma expressão ridícula!!! Coisas de mulherzinha... Porque não tem coisas de homenzinhos?!


"... as mulheres, na verdade, não precisam ser defendidas e reverenciadas; só precisam ser tratadas como seres humanos iguais."


        Criar um crianças com esses conceitos faz todo sentido. São de pequenos e com bons exemplos que aprendemos. Há anos atrás as coisas eram bem piores, mas ainda está longe dá igualmente de gênero.

"Não pense que criá-la como feminista significa obrigá-la a rejeitar a feminilidade. Feminismo e feminilidade não são mutuamente excludentes."

       E não seja ignorante o suficiente em pensar que criar uma criança feminista está abrindo portas para homossexualidade, é um completo ignorante quem ainda pense assim, mas tem que sei.

"Penso que o amor é a coisa mais importante na vida. De qualquer espécie, da maneira que você o definir, mas para mim, em termos gerais, o amor é ser grandemente valorizada por outro ser humano e dar grande valor a outro ser humano."

"Nos discursos sobre gênero, às vezes, há o pressuposto de que as mulheres seriam moralmente “melhores” do que os homens. Não são. Mulheres são tão humanas quanto os homens. A bondade feminina é tão normal quanto a maldade feminina."• 

        Querem mais motivos para definitivamente entenderem que feminismo não é um chamado para guerra e sim e igualmente de gênero!? Eu espero sinceramente que tenham entendido a mensagem, e por favor não me venham com groseiras, tem a opção de não ler o livro!
Eai, vamos estender essa discussão aqui nos comentários pra quem é livre da ignorância?!
Eu espero que tenham gostado leitores queridos!
Uma boa leitura pra vocês!
Obrigada por ler.
Meu insta: @jubisreads
Juliana Santos ❤

APRESENTANDO O LIVRO: MUNDOS PARALELOS

sexta-feira, 14 de abril de 2017 2 comentários
Oiii meus amores!!! Tudo bem com vocês??

Hoje venho trazer para vocês o novo livro da Clara Savelli e mais nove autores. Fiquem ligados, que vou contar tudo sobre ele.



Mundos Paralelos é uma coletânea de contos lançada pela revista Mundo Estranho. Esse é o primeiro livro lançado pela revista, que faz parte do grupo da Editora Abril. A equipe da Mundo Estranho selecionou 10 “autores-fenômenos” do Wattpad Brasil para fazer parte da coletânea e cada um ficou responsável por um conto.

O livro foi lançado no final de março e já está à venda nas melhores livrarias e bancas de jornal. Como a editora ainda não terminou de distribuir, pode ser que ainda não tenha chegado na sua região. Se puder, peça nas livrarias e bancas! Assim, a editora vai saber que o livro teve demanda e investir em novas iniciativas do gênero.

Os contos não têm nenhum relacionamento entre si, exceto que todos se passam em mundos diferentes, distópico e ficcionais. O livro é amplamente ilustrado, com quotes destacadas e um projeto gráfico incrível, assinado por Bruna Sanches. As ilustrações são do Thales Molina.

Todo apoio é importante, especialmente nos primeiros meses! As vendas do livro vão servir como base para editora resolver se vai continuar investindo nele e se tem chances de investir em outros autores do Wattpad. Por isso, precisamos da ajuda de vocês! Conta para tia, para as amigas,conta até para o namorado, vai que ele resolve te dar.


Os autores que fazem parte da coletânea e seus respectivos contos:

• Caça e Caçador – Rô Mierling
• Alegoria da Caverna – Felipe Sali
• Sobrenatural – Lilian Carmine
• Amigo de Lata – Aimee Oliveira
• Perfeito Problema – Clara Savelli
• Abbie – Marcus Barcelos
• Memórias Perdidas – Juliana Parrini
• Liberdade Comprometida – Thati Machado
• Perpetuação – Mila Wander
• Fragmentos – Chris Salles

Mais sobre Perfeito Problema:


Perfeito Problema se passa em mundo distópico onde por decreto governamental nenhum cidadão tem autorização para deixar suas casas. Para garantir que isso será cumprido, o governo fechou todo acesso com o mundo exterior (portas e janelas) e distribuiu pulseiras rastreadoras, que monitorariam o paradeiro de todos e garantiriam que ninguém descumpriria as regras.


O único contato das casas com o mundo exterior é através de uma claraboia que abre automaticamente em horários pré-programados do dia para a passagem de um drone, carregado de alimentos, remédios e qualquer outro tipo de provimento que a casa precisar e que o governo achar justo.

Marina é uma hacker que atua tentando descobrir o que o está escondendo. Seu melhor amigo, Bernardo, é uma mente analítica que descobre como burlar o sistema de rastreamento da pulseira. Os dois integram a Resistência – um grupo de inconformados que quer retomar o controle da situação e se reúne ilegalmente. Por isso, os dois são mais conhecidos como Bela e Fera.

Quando os integrantes da Resistência não aparecem para o encontro na noite marcada, Bernardo e Marina começam a entrar em pânico. Um bilhete anônimo diz que o grupo foi exterminado e que todos correm risco. Inclusive Marina, que é arrastada para fora de casa na manhã seguinte por uma equipe de agentes do governo que quebrou a parede da sua casa com uma bola de demolição sob a justificativa de que é “perfeita”.


O que é ser perfeita? Para onde eles estão a levando? Como ela fará para se comunicar com Bernardo e pedir ajuda? De quem era o bilhete anônimo? Será que a Resistência toda foi mesmo dizimada? Marina precisa descobrir as respostas. E rápido.

Eu já estou louca para ler todos os contos, com uma pitada a mais de curiosidade no da Clara, e a arte de capa está maravilhosa ❤😍❤

segunda-feira, 10 de abril de 2017 Nenhum comentário
O Chamado 3 (ou Chamados,fica confuso saber qual deveria ser o certo)


filmes_755_chama.jpg


O Chamado é um filme de terror que voltou aos cinemas esse ano trazendo a tão assustadora Samara de volta a nossos pesadelos.
O primeiro filme (2002) conta a história de uma mulher que encontra uma fita cassete onde tem um vídeo amaldiçoado e quem assiste morre em sete dias. Com o desenvolver da história, vamos descobrindo mais sobre a fita, mais sobre a garota da fita e sobre toda a maldição escondida atrás dela. O segundo filme da franquia continua a história do primeiro filme, com mesmos personagens mas não conseguiu manter o nível do primeiro, eu achei o segundo meio confuso, tentando embutir uma história que está ali só pra faturar um pouco mais.
Aproximadamente onze anos depois, temos uma história nova e com um título que eu queria que continuasse Chamados, e não O Chamado 3, pois parece uma continuação, mas na verdade, é uma refilmagem, pois começa uma história totalmente do zero, criando uma nova mitologia sobre a Samara, é uma lenda por trás muito mais profunda do que a dos primeiros filmes, que contavam a história da menina que era maligna e que foi jogada no poço pela mãe adotiva por causa do medo que ela tinha da própria filha, e que depois passou (de algum jeito) sua maldição para fita que mata quem assiste em sete dias.
Nesse filme vemos a vida da Júlia e seu namorado que vai para a faculdade e desaparece por um tempo. Preocupada, ela vai até lá para descobrir o que aconteceu e acaba descobrindo uma espécie de “culto” que gira em torno do vídeo onde quem assistiu o vídeo, tem que mostrar para alguém para se livrar da maldição da Samara e consequentemente da morte. Depois de assistir ao vídeo para salvar seu amado, Júlia começa a ser atormentada por visões do vídeo que ela viu, e que mais ninguém havia visto pelo fato dela ser uma espécie de “escolhida pela Samara” e disso começa sua busca pela sobrevivência e para saber o que aconteceu com Samara no passado.
O filme consegue ser bom, não é aquele filme que vai ser considerado o melhor da franquia, mas consegue ser melhor que o segundo mas não chega nem perto de ser tão bom como o primeiro foi. O roteiro funciona bem, ele te convence do que aconteceu no passado, mas o problema é o que está acontecendo no presente que é aqueles clichês e filme de terror, de abrir uma porta macabra, ir para um cemitério e decidir investigar barulhos estranhos a noite, coisas clichês que já estão manjadas e que nao tem nada de inovador. Esse é o maior problema do filme, ele não consegue inovar em nenhum aspecto a não ser de dar uma nova cara pra franquia modernizando a trama e não inovando. é impossível ver esse filme sem comparar com o primeiro filme pelo fato da estrutura ser muito parecida: a mulher vê o vídeo, o telefone toca e ela vai em busca da sobrevivência, só que mesmo assim, algumas coisas ainda ficam diferentes e conseguem ser boas, mas mesmo assim, é impossível esquecer o primeiro pela sua qualidade e superioridade, tanto em atuação, roteiro, e eu me arrisco a dizer que o visual do primeiro é mais bonito, nesse filme o visual é bom, mas de novo, nada inovador.
Com cenas do trailer que não estão presentes no filme, eu fiquei um pouco desapontado quando saí do cinema por estar esperando algo mais assustador e uma trama mais desenvolvida com personagens um pouco mais convincentes. O filme é bom, mas não é tudo o que estão vendendo em trailers e coisas do tipo, é uma mistura de Premonição com uma pequena dose de O Chamado, mas assim, pequena mesmo.
O elenco faz uma atuação boa, nada além do padrão e do esperado para um filme que nem esse. Os efeitos visuais do filme são bons, eles conseguem passar uma imagem um pouco mais tenebrosa, a maquiagem do filme também assusta bastante em algumas cenas e é muito bem feita, tanto que a atriz que faz a personagem Samara ficava mais de seis horas e meia para ficar pronta e ficou muito bem feita, por mais em que ela apareça em poucas partes do filme, poucas mesmo.
Depois que eu saí do cinema, eu parei pra me perguntar por qual motivo esse filme foi feito, pois diferente de Pânico 4, que também trouxe um universo de volta, esse filme não acrescentou nada de diferente, apenas uma nova lenda da Samara, mas mesmo assim, é uma coisa que melhorou comparado com a história do primeiro filme que trazia uma lenda muito rasa, mas não era necessário. A minha impressão é de que esse filme só foi feito para ganhar mais dinheiro e para mostrar a Samara viralizando na internet, só. Tem uma reviravolta ali no final do filme, mas não é o que o público esperava, devido a divulgação do filme. Por mais que eu tenha gostado do filme, das reviravoltas, das revelações que ele faz, não era preciso fazer esse filme e se era para recontar a história da Samara, poderia ter feito algo mais inovador do que isso.

RESENHA: Até eu te Possuir (Soraya Abuchaim)

sexta-feira, 7 de abril de 2017 2 comentários

Livro: Até Eu Te Possuir.

Autora: Soraya Abuchaim.

Editora: Ella.

Páginas: 284.

Onde Comprar: http://goo.gl/eLdati

Avaliação: ❤❤❤❤❤.

"No fundo, todos procuram um amor, em maior ou menor intensidade, mesmo que não estejam dispostos a admitir."


Sinopse:

      Johanna Dorne é uma mulher que perdeu todas as pessoas que amou. As tragédias de sua vida começaram com um acontecimento marcante quando ela tinha 13 anos.
Três décadas depois, ela se transformou em uma mulher solitária, confusa e inclinada à autocomiseração, que não consegue manter contato social com ninguém. Até conhecer Michel Brum, um homem charmoso e misterioso que a resgata de sua vida patética, devolvendo-lhe a felicidade há tanto tempo perdida. Só que Michel acaba mostrando que não é tão perfeito assim, e um segredo mortal jogará Johanna novamente em um Abismo.

"Esse seria o preço por ter causado tantos males a tantas pessoas: viver como uma sombra do que um dia, há tantos anos, sonhou ser."

   Johanna era uma garota normal, feliz, era relativamente popular na escola. Porém tudo começa a mudar a partir de sua festa de 13 anos, não mudar apenas na maturidade ou coisas que vêm com essa idade. Um certo acontecimento de quando ela estava comemorando seus 13 anos, desencadeou uma série de desgsraças na vida de Johanna.

     O livro começa narrando Johanna com 41 anos, uma mulher devastada com tantas perdas, solitária, e totalmente rotineira. Até o dia que ela conhece o Michel Brum, que é o tipo o cara mais apaixonante do mundo, que se interessa por ela. Os dois começam a ter uma relação... Mas ai... Não posso contar (não sou má gente, só que se eu contar cadê a graça do livro?) 

      O livro é narrado em primeira pessoa no tempo atual, e em terceira pessoa no passado. No começo parece um pouco confuso, porque o livro narra duas passagens de tempo passado diferentes, mas isso é só no começo, depois você se adapta a escrita da autora e ai fica viciado em saber qual vai ser a próxima tragédia do livro.

"Uma vez me disseram que o inferno é nossa mente. Nunca houve palavras tão sábias."

      Eu gostei da forma com que a autora aborda o assunto, começa de vagar, um ato um pouco violento, querendo promessas de ser "só sua", a autora abordou com um realismo incrível o abuso da personagem, essa relação abusiva. E de como mulheres frágeis, abaladas acabam meio que se acomodando com a situação. E quando a gente vê isso em filmes, série achamos que nunca vai ser nosso caso, assim como a Johanna, porém todas estamos sujeitas a isso. É um assunto difícil de ser abordado sim, mas é um assunto necessário. A autora fez isso maravilhosamente bem.

     O final achei que faltou alguma coisa, sabe quando você fica querendo mais algum acontecimento? Eu já imaginava que o grande segredo seria aquele ( que você só vão saber se ler o livro), e esse pré-final foi muito maravilhoso, tudo o que foi falado, as coisas que aconteceram, tudo foi muito bom, a forma que a autora estava conduzindo o final. 

     Eu acho que é um livro que vale muito apena ser comentado, ser lido, pois é triste, mas é a tristeza de milhares de mulheres pelo mundo, claro que não com toda a carga da Johanna, mas com sua triste realidade.
     
"A vida é assim, ela nos prega peças, e cabe a nós saber lidar com as situações adversas."

ENTREVISTA: Alexandre Apolca

quarta-feira, 5 de abril de 2017 1 Comentário
         Oiii meus lindinhos!! Tudo bem com vocês?? Espero que sim. Hoje é dia de ENTREVISTA assim como vocês já haviam visto no título. 

       A entrevista de hoje é com o Alexandre Apolca, um dos parceiros aqui do blog, já tem resenha do livro dele aqui Rockefeller, espero que vocês gostem da entrevista, eu adorei trabalhar nela!!!


ALEXANDRE APOLCA nasceu no ano de 1985, em Porangaba, interior de São Paulo. Ex-morador de Limeira e Campinas, se radicou em Tatuí. Formou-se em Química Industrial pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Trabalhou na Unilever, Cosan e Coca-Cola Brasil. Também participou de antologias poéticas tanto no Brasil quanto em Portugal. Idealista e excêntrico, é viciado em histórias policiais, e sonha em ser ufólogo e hippie. Seus autores favoritos são: o mestre Stephen King e o fundador do existencialismo, Dostoievski.



1- Você sentiu medo em algum momento das críticas das pessoas? 
Não porque, sendo um livro bom ou não, ele sempre terá críticas. Impossível agradar a todos.

2- Como foi ser personagem na sua própria história? 
Foi divertido. No começou foi mais uma brincadeira, mas depois acabei achando uma utilidade para o personagem.

3- Se pudesse mudar algo no mundo, o que mudaria? 
Acabaria com a violência.


4- Sua maior alegria, qual foi? 
Sem dúvida foi o retorno positivo que venho recebendo em relação ao livro, bem mais do que esperava.

5- Onde surgiu a ideia do livro? 
Tudo começou quando conheci a cidade de São Thomé das Letras, aí a ideia foi se desenvolvendo até criar forma.


6- Teve medo da rejeição do público mais (não sei que palavra usar) certinho? Por conta dos diversos acontecimentos e atitudes dos personagens. 
Não porque o estilo digamos mais errado do livro é mais coerente com o gênero e contexto da história. Sendo assim, tanto o meu livro como outros do mesmo gênero teriam as mesma chances de ser rejeitado por esse motivo. 


7- Demorou muito tempo para você lançar seu livro? 
Não, foi bem rápido, acho que seis meses depois que terminei de escrever.

8- Você tem novos lançamentos planejados? 
Sim, ainda este ano deve sair meu próximo livro, um voltado mais para o suspense/horror.  

9- Depois de pronto, você quis mudar alguma coisa? 
Não, eu sou do tipo que quando a história acaba, depois de revisar muito, ela realmente acaba. Não gosto de mexer em nada.



10- Momento reflexão, um recado que você daria para os jovens de hoje?
Vivam intensamente, não guardem rancor de ninguém, não percam tempo com coisas insignificantes do dia a dia, e aproveitem ao máximo cada momento, pois nunca se sabe se esse momento será o último ou não.

Resenha: Adastreia

segunda-feira, 3 de abril de 2017 2 comentários

Autora: Isabela Miao

Livro: Wattpad (degustação)

Avaliação: ★★★


Sinopse: "Nem todos os momentos de nossas vidas são previsíveis. Existem aqueles que chegam e nos pegam desarmados, pois apesar de serem inesperados, são inevitáveis."

E isso não foi diferente para a jovem Alecto. Filha ilegítima de Ana, Duquesa da Prússia e um amante de sua juventude, Alecto leva uma vida normal e dentro dos padrões da corte prussiana de 1494, sendo uma jovem dócil e de acordo com os modelos da sociedade.
   Porém, no seu aniversário de dezesseis anos, um fato que sua mãe escondeu dela sua vida toda vem a tona, fazendo com que a vida da jovem moça e todos a seu redor se transforme de uma tal maneira que nunca mais virá ser a mesma. Um livro cheio de romances, intrigas e descobertas pessoais, Adastreia é uma leitura transporta seu leitor por grandes aventuras pelo Sacro Império Romano Germânico de 1494."

Minha opinião: Essa história se passa em fevereiro de 1477. Preparados para um romance de época contagiante?
Duquesa Ana da Prússia, pela descrição uma mulher linda e sofrida! Ana foi mãe nova e sempre se dedicou ao marido e a família, muito unida por sinal. Mas por conta do desprezo/descaso que o marido trata sua mulher, e os seus casos extraconjugais, o que naquele tempo era muito comum a mulher se relacionar somente com o marido, e o homem ter várias amantes.
E é aí que conhecemos o Imperador Maximilian de Habsburg, que se encantou por Ana, e Ana nessa situação confusa com o marido começou a se entregar ao um romance proibido, tendo em consciência que se isso fosse descoberto ela e seus filhos seriam pro resto da vida humilhados.
E com esse romance nasce Alecto, uma princesa linda, de pele e cabelos claros que logo fica nítido para o marido sua infidelidade!

Duque Richard da Prússia, o filho mais velho de Ana que guarda os segredos da mãe e cuida de suas irmãs como pai. E sinceramente, mesmo todo ogro, eu gostei muito dele!!!
Tudo é uma maravilha até Maximilian resolver aparecer e fazer uma reviravolta em tudo, principalmente nos sentimentos de Ana, nos conceitos de Richard.

Eu adorei a velocidade que se desenrola a história, não tenho muita familiaridade com romances de época, mas depois de Adastreia irei ler mais com certeza! Principalmente a continuação, pois Adastreia termina muito bom. 
Só me espanta o quão cedo os casamentos são arranjados e a maioria das vezes para união de reinos e não por sentimentos verdadeiro.

A história me surpreendeu bastante, como cada personagem terminou e tudo mais, algumas decisões não gostei muito, mas não foi por isso que gostei menos. E pra mim foi essa decisão que "não gostei muito" que me fez ficar mais curiosa com a continuação... que já comecei ❤!

Obs.: E uma notícia boa pra quem ama colecionar livros físicos, o livro da Isa está no wattpad só para degustação, pois está passando por uma seleção para ser publicado!!! YAAAY 
Então logo menos teremos em mãos o livro com esses personagens tão maravilhosos ❤

Então é isso pessoal. Espero que tenham gostado.
Isa, aguardo mais novidades, pois adorei a sua escrita!

Uma boa leitura pra vocês.
Obrigada por ler!
Meu insta: @jubisreads
Juliana Santos ❤
 
Desenvolvido por Michelly Melo.