Para Educar Crianças Feministas - um manifesto

segunda-feira, 17 de abril de 2017
Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora: Companhia das letras
Ano: 2017
Páginas: 96
Avaliação: ★★★★★❤


















Sinopse: Escrito no formato de uma carta da autora a uma amiga que acaba de se tornar mãe de uma menina, Para educar crianças feministas traz conselhos simples e precisos de como oferecer uma formação igualitária a todas as crianças, o que se inicia pela justa distribuição de tarefas entre pais e mães. E é por isso que este breve manifesto pode ser lido igualmente por homens e mulheres, pais de meninas e meninos. Partindo de sua experiência pessoal para mostrar o longo caminho que ainda temos a percorrer, Adichie oferece uma leitura essencial para quem deseja preparar seus filhos para o mundo contemporâneo e contribuir para uma sociedade mais justa.

Minha leitura: Você já parou pra pensar que desde muito pequenos nos ensinam que o homem é o que deve ser respeitado e diferenciado em todos os quesitos?
Eu já pensei nisso, mas antes de ler o livro nunca imaginei o quanto isso é grave, pois nossos avós nos ensinam e edificar nossa casa, cuidar de nossos filhos, nos deitar com o marido e aguentar calada ofensas ou xingamentos porque naquele dia falhamos em alguma coisa (não é literal, mas basicamente isso).
Tenho certeza que se você é mulher já ouviu as perguntas/expressões:
-Uai, você é tão bonita, não sei porque não namora?
-Nossa, mas você só "fica", nunca pensou em se ajeitar com um homem bom?
-Se dê o respeito, é tão feio se deitar com estranhos!
-Aaah, não se importe com isso, ele é homem, e homem é assim mesmo!
-Sua vida será melhor quando você casar!


"Todo mundo vai dar palpites, dizendo o que você deve fazer, mas o que importa é o que você quer, e não o que os outros querem que você queira."


        Para educar crianças feministas - um manifesto

Eu não tenho posicionamento o suficiente para falar sobre feminismo, mas venho aqui falar como esse livro me ensinou, e me fez enxergar coisas que somos ensinadas desde muito jovem. 

O livro é escrito como uma carta para uma amiga de Chimamanda que teve uma linda menina, e daí vem o título do livro, no decorrer dele ela vai colocar sua opinião e entendimento em "Sugestões" numeradas e explicadas. E para quem não tem muito entendimento sobre, é um ótimo livro para ser lido, relido, e entender o que é de fato. 


"Ser feminista é como estar grávida. Ou se é ou não se é. Ou você acredita na plena igualdade entre homens e mulheres, ou não. O Feminismo Leve usa analogias como “ele é a cabeça e você é o pescoço”. Ou “ele está na direção, mas você é o copiloto”• 


        Chimamanda fala de forma clara como as meninas tem ensinamentos diferenciados dos meninos desde jovens, onde as meninas ajudam nos afazeres domésticos, as meninas aprendem a cuidar de suas bonecas, as meninas aprendem que um casamento com um homem bom é o nível máximo, que chegando lá não precisa de mais nada, aprendem que cuidar da casa, dos filhos é coisa de mulherzinha! Taí uma expressão ridícula!!! Coisas de mulherzinha... Porque não tem coisas de homenzinhos?!


"... as mulheres, na verdade, não precisam ser defendidas e reverenciadas; só precisam ser tratadas como seres humanos iguais."


        Criar um crianças com esses conceitos faz todo sentido. São de pequenos e com bons exemplos que aprendemos. Há anos atrás as coisas eram bem piores, mas ainda está longe dá igualmente de gênero.

"Não pense que criá-la como feminista significa obrigá-la a rejeitar a feminilidade. Feminismo e feminilidade não são mutuamente excludentes."

       E não seja ignorante o suficiente em pensar que criar uma criança feminista está abrindo portas para homossexualidade, é um completo ignorante quem ainda pense assim, mas tem que sei.

"Penso que o amor é a coisa mais importante na vida. De qualquer espécie, da maneira que você o definir, mas para mim, em termos gerais, o amor é ser grandemente valorizada por outro ser humano e dar grande valor a outro ser humano."

"Nos discursos sobre gênero, às vezes, há o pressuposto de que as mulheres seriam moralmente “melhores” do que os homens. Não são. Mulheres são tão humanas quanto os homens. A bondade feminina é tão normal quanto a maldade feminina."• 

        Querem mais motivos para definitivamente entenderem que feminismo não é um chamado para guerra e sim e igualmente de gênero!? Eu espero sinceramente que tenham entendido a mensagem, e por favor não me venham com groseiras, tem a opção de não ler o livro!
Eai, vamos estender essa discussão aqui nos comentários pra quem é livre da ignorância?!
Eu espero que tenham gostado leitores queridos!
Uma boa leitura pra vocês!
Obrigada por ler.
Meu insta: @jubisreads
Juliana Santos ❤

4 comentários

  1. Adorei seu post! Acho que esse é um tema bem atual e que bom é atual.
    Vamos falar de feminismo e sobre a criação de crianças na sociedade machista, é complicado. Vejo na minha própria família.
    Beijos.
    www.umlivroenadamais.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim é complicado, mas ao mesmo tempo tão necessário

      Excluir
  2. Ai que fofo, vi esse livro pela Amazon e já tinha me interessado, agora que quero mesmo, já foi pra minha lista de desejados! Ótimo post. 😘

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.